28/05/2008

* ela é um anjo de peixe !














foto:llunkes
.
"...e mais cinco lascas de asas de arraia. E mais duas..."
.
.
De uma certa forma, essas palavras me transportam no tempo, de volta à época de garoto quando devorava avidamente os "gibis" da disney e me deliciava com as hilárias Madame Mim e Maga Patalógica ao redor de seu caldeirão a preparar endiabradas poções mágicas ao adicionar os mais estapafúrdios ingredientes àquele fumegante panelão macabro . Pobre do tio Patinhas...
.
Pois é, a palavra arraia soa feio, mesmo. Coisa de bruxa. O curioso é que a grande maioria dos comensais, ao ler esse nome nos cardápios, segue instantaneamente com os olhos para o próximo ítem , sem dar a merecida atenção à esse maravilhoso serzinho aquático. Talvez seja por essa razão que os deuses marinhos (que entendem tudo de semântica) deram uma segunda chance a esse desprezado bichinho alado e, num ímpeto de compaixão, o re-batizaram de peixe-anjo. Agora sim! Os olhos se fixam e as papilas degustativas até cogitam a possibilidade de uma reconciliação com os céus. Mas para isso, o anjinho terá que sobrevoar a panela! Aleluia, irmão!
.
Saiba com que tipo de anjo você está lidando...
.

Muito popular na europa, a "bizarra" arraia está conquistando um número cada vez maior de adeptos no mercado americano. De posse de seu novo status "fancy", você a encontrará nas mais variadas peixarias e butiques de peixe espalhadas por toda a Manhattan. Quase sempre vendida na forma de "asas", sua deliciosa carne é firme e amanteigada, de um sabor suavemente pronunciado.
.
Ao comprar o peixe-anjo certifique-se que as asas estejam brilhantes e com odor fresco, evitando as peças que exalam um cheiro de amônia. Devido ao seu alto índice de gelatina, a arraia deve ser sempre ingerida quente para evitar a desgradável sensação "gosmenta" que ela produz quando fria. É um peixe ideal para frituras, ensopados e salteados. Evite grelhá-la.
.
.














foto:llunkes

RECEITA: PEIXE-ANJO À MODA DO CHEFINHO

1 tomate italiano, sem pele e cortado em cubos pequenos
¼ de pimentâo amarelo, sem pele e cortado em cubos pequenos
½ cebola roxa pequena, picada
1 colher de sopa de alcaparras, drenadas
2 dentes de alho, picado
½ molho de cebolinha(a parte branca), fatiada bem fino
8 azeitonas pretas, picadas
2 pitadas de açúcar
¼ de xícara de óleo de oliva extra virgem
¼ de xícara de vinho branco seco
3 colheres de sopa de vinagre de jerez
cebolinha(a parte verde), picada

1 asa de peixe anjo (cortada em 2 partes)
2 colheres de sopa de óleo vegetal
sal marinho e pimenta do reino moída a gosto

PREPARO

1. Ligue o forno à 200 graus . Seque bem o peixe e tempere com sal e pimenta.
2. Num frigideira antiaderente e de cabo de metal, aqueça o óleo até fumegar. Com cuidado, adicione o peixe à panela com o lado que será apresentado para baixo, em contato com o fundo da frigideira. Salteie até começar a dourar levemente.
3. Trasnfira a frigideira para o forno e asse por 7 a 10 minutos O tempo exato vai depender da espessura do peixe.

Enquanto isso...

4. Junte os primeiros 9 ingredientes em uma panela pequena e não reagente à produtos àcidos. Aqueça até comecar a ferver. Junte o vinho e cozinhe por mais um minuto.
5. Deslique e acrescente o vinagre, o sal, a pimenta e a cebolinha picada.
6. Retire o peixe do forno, coloque sobre um prato e derrame o molho por cima.
Sirva i-m-e-d-i- a-t-a-m-e-n-t-e!
***

12 comentários:

Anônimo disse...

Uau!!!...Nunca pensei que as arraias pudessem ficar, vistas sob esse delicioso "ângulo", tão atraentes quanto costumam ser quando estão deslizando pelas águas!
Belo trabalho, Chef!
Caso eu esteja preparando este prato, num jantar para amigos, qual seria a sua dica em termos acompanhamento?
Sds.
Jaime

Axly disse...

Olá Chef
Eu juro que nunca imaginei comer uma arraia, ainda mais depois das aulas de Cordados do semestre passado. As pobres conservadas em formol!
Mas, até me pareceu interessante essa idéia...
Quem sabe um dia eu encontre peixe-anjo por aqui, já vou saber o que fazer^^
Kisss!

Geraldo Figueras disse...

Chef, estou confuso, então hoje vou só de perguntas. Não é proíbido a comercialização de arraia por aqui? Juro que já ouvi falar algo a respeito. Se não for, aonde raios (no pun intended) eu encontro uma aqui em Porto? Por sinal, estou viajando total e o filé de anjo comumente servido é o próprio bichinho?

LUCIANO LUNKES disse...

Olá Jaime,

olha, eu optaria por um companhamento simples e leve. Uma escarola salteada no óleo de oliva com alho e uma pimentinha calabresa seria um acompanhamento despretencioso e elegante. Um espinafre feito da mesma forma seria tambem uma ótima opção. Se voce gosta de quiabos, salteie-os rapidamente e sirva al dente. Enfim, há várias opções. Obrigado pela sua visita ao concha, Jaime e por favor : volte! hehehe

LUCIANO LUNKES disse...

Axly
peixe-anjo em Cuiabá?..hm...deixe me ver...me avise se ver um! Mas se você o achar, agarre-o com as duas mãos e leve=o pra casa...você nao vai se arrepender!
beijos

LUCIANO LUNKES disse...

Geraldo,
vamos por partes. Honestamente não sei te dizer se a pesca da arraia está proibida. Estou à pouco tempo de volta e não ouvi nada osbre esse assunto. Na verdade, praticamente todas as bancas de peixe do mercado público estavam vendendo arraia hoje quando fui comprá-las. O que servem por ai eu nao sei exatamente, só sei que quando eu sirvo eu uso o bichinho mesmo...heheh.. Muito cuidado ao comprá-lo. Não se acanhe pedir para o cara da balcão para cheirar o peixe antes de comprá-lo.Você está no seu direito e dever de fazê-lo. Não é raro você topar com peças com um cheiro insuportavel de amônia.
super abraço

Filipa disse...

Confesso que é um peixe que nunca me chamou muito a atenção, talvez pelo seu nome feio ou se pelo seu aspecto não mais bonito... Mas ao ler a sua descrição e ao ver o aspecto do prato preparado por si, devo dizer que me deu vontade de experimentar.

Beijos

LUCIANO LUNKES disse...

É isso aí, Filipa. Eu adoro esse peixe. Suspeito que você também vai gostar. Me deixa saber. Beijão

Fabrícia disse...

A fotografia está um encanto....o peixe confesso que não conheço mas fiquei tentada à provar...veremos se encontro aqui na província do Quebec.
Abraços.

LUCIANO LUNKES disse...

com certeza você vai encontrar, Fabrícia. Eu não sei como é da arraia em francês mas em inglês ela atende pelo nome de "skate"...hehehe...depois você me diz se encontrou!
Abração

Eduardo Luz disse...

Luciano, eu tive uma experiencia muito infeliz com arraia. Fiz há um tempão e ela conseguiu entrar na pequena lista ( ela e dobradinha) de produtos que não queremos comer mais. Cheguei até a perguntar pro Alex Atala ( a receita era dele!) o que aconteceu e ele me disse que o peixe é muito gostoso mas que eu teria que ter cuidado com a qualidade da matéria-prima (que pelo visto, foi o que aconteceu comigo!).
Vendo esta tua receita, vou tentar de novo ! Muito bom o teu blog, e já linkei lá no DCPV. Depois conversamos se você topa fazer uma brincadeira conosco ( gastronômica, é claro ! rsrsrs).

LUCIANO LUNKES disse...

heheheh...cara, to nessa. Me avisa! Olha, a arraia tem que ser suuuuuuper fresca e , se possivel, procure saber a procedência dela. Cheire, cheire, cheire o bichinho antes de levá-lo pra casa. Se tiver qualquer outro aroma além do de mar, deixe ele onde está caso contrário, a brincadeirinha pode não ser lá muito "fun" ...hehehe. Essa receita é muito simples e é fundamental a arraia estar em "boa forma".
Valeu, cara...aguardo contato.
super abraço